Desejo e Perigo

Desejo e Perigo (2007) é uma obra-prima do diretor Ang Lee, o cara que sempre será lembrado por Brouckback Mointain ou, menos honroso, por Hulk.

Nas críticas em português, se exaltam a beleza do filme, mas outras dizem se tratar de uma obra certinha, capaz de trazer elementos de suspense, amor, além de conter uma ambientação histórica impecável e só. Para mim, o só já significa tudo.

Sim, concordo que uma história de amor é meio demais para retratar um jogo tão complicado como aquele envolvendo um espião que delata, tortura e não está nem aí na Shanghai ocupada pelos japoneses da década de 1940. E o filme é por aí. Nem vou dizer que a personagem era uma mocinha tonta que se destaca por seus dotes pra que você não perca a vontade de ver. Até porque vale muito a pena.

Eu vi duas vezes, ambas no cinema. A primeira, logo depois de o filme ser lançado e ter provocado polêmica pelas cenas de sexo e de violência – tem um assassinato na trama -, foi em Hong Kong. Estava curiosa pela versão sem cortes e resolvi gastar o pouco tempo que tinha na cidade enfiada duas horas e meia numa sala escura. Adorei.


De volta à capital chinesa, faltou mesmo o sexo e o assassinato. Mesmo que os cortes sejam assinados pelo próprio Ang Lee, faltou vigor. E, neste ponto, discordo de quase todos que dizem se tratar de um filme erótico. Pra mim, a intimidade da menina e do malvadão só se revela na cama, e vai fazer todo o sentido depois.

Na época, logo vi DVDs piratas sendo vendidos pelas ruas de Beijing. Sem cortes, diga-se. Foi uma bela lição sobre o modus vivendi chinês. A gente proíbe o que considera ruim e faz de conta que todos aceitarão os limites. E todos fingem que não sabem como ultrapassá-los. Até acho que a grande maioria não sabe, mas isso é outra história.

Desejo e perigo em chinês é 色,戒, que em mandarim lemos Shai Jie. Aí vai o trailer:

Uma das cenas mais sensuais pra mim, não eróticas, é quando a atriz, Wei Tang, canta 天涯歌女,ou a Cantora Errante, que pode ser lido como Tianya Genu, para o amante, vivido por Tony Leung . Aliás, graças ao filme, comecei a achar o cara O CARA sensual da China. Bueno, segue esta palhinha pra vocês.

A música originalmente foi cantada por Zhou Xuan, atriz chinesa famosa lá longe. Olha a performance de 1937 aí, gente.

 

Aliás, as duas personagens vestem qipao (旗袍), que é como são chamados os maravilhosos vestidos chineses, criação de Shanghai, onde se passam as duas tramas apresentadas rapidamente nas imagens acima.

 

Drops

Wei Tang foi banida da mídia chinesa após protagonizar as cenas de sexo e hoje vive em Hong Kong.

Pin It

Leave a Reply